ROTEIRO PARA CINEMA

 

CURTA METRAGEM

 

 

 

 

            Simone das drogas...        

                                  Simone dos anjos

 

 

 

 

 

UM ORIGINAL DE

SAARA NOUSIAINEN

 

DURAÇÃO:  12 MINUTOS

 

 

 

 

 

 

PERSONAGENS PRINCIPAIS

 

 

 

Vítor –  22 anos, técnico em informática, viúvo. Conhece Simone, adolescente, viciada em drogas. Vítor e Simone apaixonam-se profundamente. Acreditam que esse amor será capaz de conseguir fazer Simone vencer o vício. Casam-se, mas com pouco tempo Simone não resiste e entrega-se às drogas, morrendo de overdose. Vítor, em total desespero entrega-se ao álcool.

 

 

Simone  -  15 anos, bonita, ex-estudante, conhece Vítor, apaixonando-se profundamente por ele. É viciada em drogas pesadas, e sofre muito por não conseguir abandonar o vício. Vê em Vítor o seu mundo, a sua salvação. Acredita que o amor de Vítor vai ajudá-la a conseguir vencer o vício. Com pouco tempo de casada morre de overdose.

 

 

Isabel / espírito -  Habita no mundo espiritual. Foi mãe de Vítor na Terra. Beleza serena, aparenta 55 anos. É sábia, tranqüila, mas firme. Ama profundamente o filho e está procurando ajuda-lo, assim como à Simone.

 

 

 

 

 

PERSONAGENS SECUNDÁRIOS

 

 

Lídia / espírito  -  Aparenta 20 anos. É alegre e terna. Trabalha com Isabel, tipo assistente.

 

Cliente  -   Médico.

 

Clarinha -  Jovem, ex-viciada. Acaba de dar à luz. Está a morte.

 

Enfermeira – Sem definição

 

 

 

 

 

 

Simone das drogas..

                Simone dos anjos

 

 

 

 

 

Sinopse

 

 

Vítor entrega-se inteiramente ao álcool, desesperado com a morte, por overdose, de sua mulher, a jovem Simone.

 

No mundo espiritual, sua mãe, que morreu há muitos anos, procura meios de ajuda-lo, assessorada por outro espírito, Lídia.

 

As duas promovem um encontro de Vítor, durante o sono, com Simone e esta pede a Vítor para dedicar-se a ajudar pessoas viciadas a abandonarem seus vícios. Vítor promete e à despedida, Simone promete que vai voltar.

 

 Quatro anos mais tarde, Clarinha, uma jovem viciada, assistida por Vítor, dá à luz uma menina e, à morte, pede a Vítor que lhe seja pai.

 

Vítor aceita e ao pegar a menina e olhar para ela, reconhece Simone, que voltou para ele, conforme prometera.

 

 

 

 


 

 

 

ROTEIRO PARA VÍDEO   -   CURTA METRAGEM

 

Um original de

Saara Nousiainen

 

Simone das drogas... Simone dos anjos

 

Abertura:

 

Câmera em travelling colhe os detalhes de um display composto por seringas, garrote, pílulas, cigarros de maconha, bebidas, charopes, pó de cocaína, velas acesas.

 

Música – Heave Metal pesado

 

Intercalando esta imagem (travelling) cenas do filme/VT congelados, mostrando os atores e seus nomes, assim como imagens da equipe trabalhando, seus nomes e funções.

Esta última imagem do travelling finaliza, com primeiríssimo plano da chama da vela, entrando sobre ela o nome do filme.

 

 

Seqüência 01   -     PRAÇA     EXT / DIA

 

Vítor está bêbado, sentado no banco de uma praça. Está só e triste. Bebe no gargalo da garrafa. Barba por fazer, roupas sujas. Quando bebe o líquido escorre da boca.

 

PG da praça. Um sino dá a primeira badalada, chama de enterro, toques compassados. As badaladas seguintes intercalam com cenas de enterro/caixão e cenas da Simone drogada, semidespida, entre lençóis, contorcendo-se, sorrindo. A cada badalada câmera/imagem aproxima-se mais de Vítor até dose que bebe em câmera lenta (não muito) ou estrobe (não muito).

 

Vítor pensa com voz embolada.

 

 

VÍTOR   (OFF)

-  Acho que pra baixo chão... só foi o corpo dela...

 

 

 

Fusão do rosto de Vítor (CLOSE) para PMC da Simone na cama, rolando.

Entra Vítor e beijam-se entre os lençóis.

 

 

VÍTOR   (OFF)

-  Aquele corpinho tão lindo...

Tec. Entra música Roc pesado, muita guitarra.

 

Câmera em travelling, detalhes de mãos, olhos, bocas, de Simone abraçada na cama com Vítor.

 

 

VÍTOR   (OFF)

-  Marcada pela vida...

Tec.  Sai música

 

 

CLOSE  do Vítor acabando de dar uma golada na garrafa. Fala com raiva, quase gritando

 

VÍTOR  

-  Drogada!

 

 

FUSÃO para PM de mãos do Vítor puxando Simone da cama. Ela está com um véu de noiva. Sorri.

 

 

VÍTOR 

-  E depois... minha mulher...

Tec. – Acordes de guitarra enquanto aparece a fusão

FUSÃO sobre a imagem de Vítor ficando triste.

 

 

VÍTOR 

-  Ah, Simone!... Simone das Drogas...

Tec. – Acordes de guitarra enquanto aparece a fusão

CLOSE do Vítor. Ele coloca lentamente as mãos sobre o rosto, escondendo, porém ainda segura a garrafa em uma delas. Abaixa o rosto bruscamente, saindo de quadro.

PMC  Vítor levanta-se com raiva, grita e atira a garrafa no chão, ou num tronco de árvore.

 

 

VÍTOR 

-  Por que de overdose?...

 

 

FUSÃO rápida – imagem em câmera lenta 100% da garrafa espatifando-se.

FUSÃO. Pan vertical a partir da cintura do Vítor até CLOSE. Ele está ofegante. Fala em tom de voz consolando-se. No final da fala olha para o céu. Câmera pan vertical até o céu (neutro).

 

 

VÍTOR 

-         Mas ela foi pro céu...

 Simone... Simone dos anjos...

 

 

 

Seqüência 02   -   MUNDO ESPIRITUAL    EXT / NOITE

 

FUSÃO da imagem anterior do céu p/ fumaça que enche o quadro e vai saindo (imagem com filtro efeito fog (?) 

Isabel e Lídia caminham conversando

Entra música clássica, celestial.

 

 

 

LIDIA

-  Foi difícil conseguir que não bebesse hoje...

ISABEL

-  O importante é que esteja lúcido

LIDIA

-  Ele vem pensado em suicídio, ultimamente.

 

 

Isabel pára, olha para Lídia com ar preocupado

 

 

ISABEL

-  Precisamos impedir... Não podemos deixar que perca esta oportunidade...

 

Voltam a caminhar

 

LIDIA

-  Será que as bebedeiras poderão tê-lo afetado?

ISABEL

-  Sem dúvida... mas ele tem alguns créditos... é uma boa pessoa...

LIDIA

-  Quer dizer que vai receber ajuda extra...

 

 

Isabel faz uma expressão de que, sim.

 

 

LIDIA

-  Eu tenho pena dos dois... estão sofrendo tanto...

ISABEL

-  O sofrimento é o maior dos professores, na escola da vida...

 

 

Isabel para. Lídia também. Isabel sorri com expressão angelical.

 

 

ISABEL

-  Mas é uma escola cujo diploma tem a cor da felicidade.

 

 

Isabel olha para o alto e diz:

 

 

ISABEL

-         Vamos buscar energia...

 

 

As duas fecham os olhos (rostos levemente voltados para o alto) Fazem algumas inspirações suaves, como se estivessem inalando energia do ar. Permanecem assim por instantes como se estivessem orando. O cenário adquire mais luminosidade.

 

 

 

Seqüência 03     -     QUARTO DO VÍTOR       INT / NOITE

 

 

FUSÃO lenta da cena anterior com travelling PM lateral de Vítor deitado, dormindo, dos pés à cabeça.

Corte com objeto em 1º plano (algo forte, referencial, talvez o Evangelho aberto).

PG do quarto. Vítor dorme. Surgem Lídia e Isabel em fusão (continuar a usar fog, porém mais central em Isabel e Lídia). Isabel aproxima-se de Vítor. Passa as mãos, da cabeça para os pés, próximo ao corpo de Vítor. Segura suas mãos e ajuda-o a sair do corpo físico e erguer-se da cama . Vítor não vê Isabel nem Lídia, esfrega os olhos, olha o próprio corpo deitado na cama, olha para si mesmo (corpo espiritual), apalpa-se, assustado. Faz menção de voltar para o corpo, na cama, mas Isabel o contém, passa os dedos suavemente por sua testa. Vítor pisca os olhos, começa a ver o ambiente espiritual. Isabel vai surgindo em seu foco. 

 

 

VÍTOR

-  Mamãe!

 

 

Mãe e filho abraçam-se longamente. Vítor afasta-se um pouco, olha a mãe com ternura, acaricia seu rosto, seus cabelos...

 

 

VÍTOR

-  Mãe... Que saudade!...

ISABEL

-  Vítor, meu filho!...

VÍTOR

-  Oh, mãe... só a senhora pra me ajudar... eu tô sofrendo tanto...

ISABEL

-  Nós viemos te buscar, filho... Precisamos conversar.

Vem...

 

 

De repente Vítor, como que desperta e olha para Isabel com espanto.

 

 

VÍTOR

-  Mas a senhora morreu...

ISABEL

-  Olha ali, na cama... não é o teu corpo?

A diferença é que o meu morreu e foi enterrado... o teu continua vivo... está apenas adormecido.

 

 

Vítor faz um gesto de quem não está entendendo plenamente, mas prefere deixar-se levar pela mãe, como se fosse uma criancinha, feliz pelo encontro. Isabel e Vítor caminham em direção à câmera, em diagonal. Ao passarem em sua frente a roupa clara de Isabel enche o quadro.

 

 

Seqüência 04     -     MUNDO ESPIRUTAL      EXT / NOITE

 

 

FADE IN -  Aparece um parque ou praça, sem as mesmas referências do lugar onde Isabel e Lídia anteriormente conversaram. Câmera faz pan até Vítor e Isabel que estão num banco. Vítor está deitado com a cabeça no colo de Isabel. Está encolhido, em posição fetal. Isabel acaricia-o maternalmente. Lídia entra em quadro a passos calmos. Isabel está concentrada, acariciando o filho (continua o filtro fog). Levanta um pouco a cabeça olhando para Lídia e fala telepaticamente. Efeito reverberação na voz. Sem labial. Sua voz é firme, porém com ternura.

 

 

ISABEL

-  Está na hora de buscá-la.

 

 

Lídia sorri e faz sim com a cabeça.

 

PM de Isabel de frente, olhando Lídia que está ao lado. Lídia sai passando em frente à câmera. Isabel acompanha o movimento de Lídia ao sair e vai levantando a vista (metáfora) como se Lídia saísse volitando.

CLOSE de Isabel descendo os olhos para Vítor. Câmera corrige para rosto de Vítor, que está sendo acariciado por Isabel. Este fala triste, preocupado, angustiado, revelando sua situação íntima.

 

 

VÍTOR

-  Minha vida não tem mais sentido sem a Simone

 

 

Vítor levanta-se bruscamente. Fala sério, resoluto.

 

 

VÍTOR

Eu quero morrer, mãe...

 

 

Isabel sorri um meio sorriso triste. Levanta-se.

 

 

ISABEL

-  Pra ficar com ela...  (?)

 

 

Vítor olha a mãe nos olhos, como a confirmar. Aos poucos desvia o olhar, meio envergonhado de sua pretensão. Isabel aproxima-se mais e fala com carinho mas com autoridade

 

 

ISABEL

-  Nem pense, meu filho... O sofrimento do suicida é muito grande... É muito mais terrível do que você possa imaginar.

Além disso... você ficaria ainda mais separado da Simone...

 

 

Vítor estremece

 

 

VÍTOR

-  Separado?  Mas por que?

ISABEL

-  Porque aqui, no outro lado da vida, ninguém escapa à lei.

VÍTOR

-  Mas, mamãe... por acaso é crime querer ficar com quem a gente ama?

ISABEL

-  Claro que não, meu filho. Mas para tudo tem que haver merecimento...

 

 

Isabel segura em seus ombros, olha bem dentro de seus olhos.

 

 

ISABEL

-  Honestamente, acha que a Simone aproveitou bem sua permanência na Terra?

 

 

Vítor faz expressão desalentada e Isabel continua.

 

 

ISABEL

-  É claro que existem muitas atenuantes no caso dela...

 

Vítor mostra um reflexo de esperança na expressão.

 

VÍTOR

-  Então, mamãe... (?)

ISABEL

-  Eu disse atenuantes... apenas atenuantes.

 

 

Vítor fica silencioso, meditativo. Isabel olha para ele com ar preocupado.

 

 

 

 

 

ISABEL

-  Tira essas idéias da cabeça, meu filho. Saiba que o suicida cria uma dívida muito grande para com a vida... Muitos deles levam até séculos de lutas e sofrimentos para resgata-la.

 

 

Isabel fala suavemente, em tom de suplica.

 

 

 

ISABEL

-  Não continue nesse caminho de erros... Mude o rumo de sua vida, filho...

 

 

Vítor abaixa a cabeça, envergonhado. Um tema de amor entra suavemente em BG. Vítor sente que há algo no ar. Levanta a cabeça. Lídia vem se aproximando trazendo Simone que se apresenta fraca, como quem está convalescendo. Vítor não consegue sair do lugar. Está trêmulo de emoção. Os olhos enchem-se de lágrimas, abre a boca para gritar mas só consegue murmurar, enquanto estende os braços em sua direção.

 

 

VÍTOR

-  Simone!...

 

 

Simone tenta correr mas não agüenta e segue caminhando para os braços de Vítor. Sua fala é de quem está profundamente penalizada, tanto por si mesma como por seu amado.

 

 

SIMONE

- Vítor... meu amor...!

 

 

Os dois se abraçam e se acarinham, observados de perto por Isabel e Lídia. Isabel aproxima-se.

 

ISABEL

-  Meu filho, a Simone não pode demorar...

 

 

Vítor olha para Isabel com ares de quem vai contestar, mas percebe que não deve. Simone, sentindo que o tempo é curto, pede.

 

 

SIMONE

-  Vítor, querido... Eu quero que você me prometa uma coisa...

VÍTOR

-  O que você quiser, meu amor... seja lá o que for...

 

 

Simone fala lentamente, como a dar tempo ao Vítor de entender exatamente o que deseja.

 

 

SIMONE

-  Quero que ajude pessoas viciadas...

 

 

Vítor faz ar de espanto, mas logo compreende as razões de Simone. Sorri.

 

 

VÍTOR

-  Eu vou fazer isso, Simone... Por você... e por mim...

SIMONE

-  Mas principalmente por eles, Vítor...

 

 

Simone segura levemente com as mãos o rosto de Vítor. Olha bem dentro de seus olhos e fala, balançando levemente a cabeça...

 

SIMONE

-  Eles... eles e eu... somos tão infelizes... tão infelizes...

 

 

Vítor segura nos ombros de Simone e promete, olhando também  bem dentro de seus olhos.

 

 

VÍTOR

-  Eu prometo. Daqui pra frente vou dedicar a minha vida pra ajudar tudo que é tipo de dependentes... em tudo que eu puder...

 

 

Lídia aproxima-se de Simone e Isabel de Vítor. Eles entendem que terminou o encontro. Abraçam-se, beijam-se, quase com desespero. Aos poucos Simone desprende-se de Vítor e vai-se afastando conduzida por Lídia. Vítor permanece ao lado da mãe, com os braços ainda estendidos em direção à amada. De repente Simone pára, vira-se para olhar Vítor mais uma vez. Faz menção de querer voltar, mas Lídia a detém com delicadeza, mas firmeza.

 

 

SIMONE

-  Eu vou voltar pra você, Vítor...  Eu juro.

 

 

Simone vira-se para ir embora. Volta-se mais uma vez e grita.

 

 

SIMONE

-  Até um dia... meu amor...

Espere por mim... eu vou voltar...

 

 

Vítor sente um desespero feroz ao ver Simone indo embora.

 

 

VÍTOR

-  Simone... espere, meu amor... Não vai embora...

 

Câmera mostra em primeiro plano, de perfil, a expressão desesperada de Vítor e em segundo plano Simone afastando-se em diagonal até sair de quadro. Vítor continua acompanhando com os olhos, e a certa altura em pan ascendente (metáfora), mostrando que as duas começaram a volitar.

Seqüência  05    -    QUARTO DO VÍTOR    INT / NOITE

 

PMC   Vítor na cama, agitado, como e estivesse tendo um pesadelo. Entra completamente em quadro ao levantar-se na cama. Grita.

 

 

VÍTOR

-  Simone... espere, Simone...

 

 

Vítor acorda suado, ofegante. Senta na beira da cama, colocando os pés no chão e passando as mãos no rosto. Acalma-se aos poucos. Olha ao longe e um sorriso desenha-se em seus lábios.

 

 

VÍTOR  (OFF)

-  Você prometeu voltar, Simone...

Eu vou te ver de novo, meu amor...

 

 

Fica por instantes deleitando-se com aquela lembrança. De repente, levanta a cabeça com ar decidido.

 

 

VÍTOR  (OFF)

-  Eu também fiz uma promessa...

 

 

Vítor fica em pé. Espreguiça. Sorri de novo. Fala em voz alta.

 

 

VÍTOR

-  A partir de agora ... sou outro homem.

 

 

 

 

Seqüência 06   -   CONSULTÓRIO DE UM MEDICO      INT / DIA

 

Vítor está terminando de consertar um micro no consultório de um cliente (um médico).

 

 

CLIENTE

-  Como é que vai seu trabalho com viciados?

 

 

Vítor pára o que estava fazendo, olha para o cliente.

 

 

VÍTOR 

-  É um bocado difícil... É terrível a gente conviver com isso... O senhor não faz idéia do estado de penúria, de miséria a que pode chegar uma pessoa pelo uso de drogas.

CLIENTE

-  Eu já vi alguns...

E faço idéia de como é gratificante conseguir resgatar alguém desse abismo...

VÍTOR

-  Ah, o senhor nem imagina, quanto!

Já fazem quatro anos que eu lido com eles, e toda vez que olho pra uma pessoa que está conseguindo se libertar... é como se eu respirasse o ar do paraíso...

 

 

Uma sombra de melancolia perpassa pelo rosto de Vítor. Pensa.

 

 

VÍTOR   (OFF)

-  ... e me aproximasse mais um pouco do meu amor...

 

 

Toca o celular de Vítor. Ele atende. Escuta um pouco.

 

 

VÍTOR  

-  E o estado dela é assim tão grave?.........................

.......... Estou indo pra ai.

 

 

Vítor desliga e fala para o cliente.

 

 

VÍTOR  

-  Era do hospital... Clarinha, uma das nossas assistidas deu à luz... o estado dela é muito ruim...

Ela era viciada em alto grau... Quando chegou ao Grupo Vida já estava grávida. Ela queria deixar a droga por causa da criança.

CLIENTE

-  E conseguiu?

VÍTOR

-  Conseguiu...

 

 

 

Seqüência  07   -  QUARTO DO HOSPITAL    INT / DIA         (pode ser noite)

 

Clarinha, está na cama do hospital. Está muito mal, mas mesmo assim, olha ansiosa para a porta. Esta se abre e entra Vítor. Expressão de alívio de Clarinha.

 

 

CLARINHA

-  Seu Vítor... Eu sei que vou morrer... Eu lhe devo muito... mas vou lhe pedir mais um favor... o maior de todos...

VÍTOR

-  Que é isso, Clarinha...

CLARINHA

-  Não, não diga nada... só me prometa uma coisa.

VÍTOR

-  O que é?

CLARINHA

-  Quero que seja o pai da minha filha...

 

 

Vítor está surpreendido. Não sabe o que dizer.

 

 

CLARINHA

-  Por favor, seu Vítor. Não quero que a minha filha vá pra um orfanato.

VÍTOR

-  Mas, Clarinha...

 

 

Clarinha  segura a mão de Vítor e suplica.

 

 

CLARINHA

-  Eu sei que é pedir demais... mas eu não tenho ninguém... só o senhor pode me ajudar...  Por favor...

 

 

Vítor olha com carinho para a jovem.

 

 

VÍTOR

-  Está bem, Clarinha... Eu vou ficar com sua filha... Ela será minha filha...

 

 

Entra uma enfermeira.

 

 

CLARINHA

-  Por favor, enfermeira, quero que seja minha testemunha.

ENFERMEIRA

-  Testemunha?... de que?

 

 

 

CLARINHA

-  O Vítor... ele é o pai da minha filha... quero que a menina... fique com ele...

 

 

 

 

 

 

 

Seqüência    08    HALL DO HOSPITAL      INT / DIA   (pode ser noite)

 

Vítor está sentado no hall do hospital, com ar pensativo. Entra a enfermeira com um bebe nos braços e dirige-se para ele. Vítor levanta-se.

 

 

VÍTOR

-  Pra onde levaram o corpo?

ENFERMEIRA

-  Pro necrotério.

 

 

A enfermeira passa o bebe para Vítor. Entrega-lhe o documento do hospital sobre o nascimento da criança.

 

 

ENFERMEIRA

-  Esse papel é para o registro do bebe.

VÍTOR

-  Obrigado.

 

A enfermeira afasta-se. Vítor olha o rosto do bebe. Em seu rosto vai-se formando expressão de surpresa, misturada com amor. Fecha os olhos por instantes. Senta, olha de novo para o bebe, beija suavemente seu rostinho. Um sorriso imenso, cheio de alegria e amor vai-se formando em sua expressão... Está profundamente emocionado. Lágrimas rolam dos olhos.

 

VÍTOR

-  Simone... Você cumpriu a promessa, meu amor....

...Você cumpriu...

 

Vítor segura o bebe com infinito carinho. Levanta, guarda o documento com cuidado e sai em direção à porta, conduzindo seu amor.

Quando vai chegando na porta, imagem congela e passam letreiros de encerramento.

 

FIM